Como lidar com um chefe exigente ao extremo sendo ele o meu pai, e sendo que moramos juntos na mesma casa? Ele só sabe falar de trabalho e chamar a atenção nas horas que estamos sentados a mesa para as refeições. Altamente sufocante.

Gestora, 39 anos

A escolha de trabalhar com o pai pode ser muito prática no início da carreira, mas pode ser muito desgastante ao longo do tempo. O sucesso de um negócio familiar depende muito das ambições individuais, da estratégia, da visão da gestão do negócio e da qualidade do relacionamento entre as partes. O desalinhamento entre a condução do negócio e questões emocionais tende a ser uma mistura explosiva.

Existem muitas vantagens e desvantagens ao se escolher trabalhar em família do mesmo jeito que qualquer outra que tomamos em nossa carreira. Começando pelas vantagens destaco a rapidez na tomada de decisões em situações críticas, confiança mútua, capacidade de se auto financiar, lealdade e laços de longo prazo. Ao mesmo tempo, dependendo da empresa, ocorre a falta de planejamento de longo prazo, de preparação e qualificação de alguns profissionais, prevalecendo ao invés da competência a questão da confiança ou solidariedade familiar.

A cultura da empresa familiar costuma ser centralizada e gerar algumas situações como privilégios para familiares, falta de reinvestimento dos lucros e outras práticas que podem comprometer o resultado. É muito comum os conflitos familiares terem interferência na gestão da empresa. Um dos maiores desafios deste tipo de empresa é manter a família unida visando a perpetuidade do negócio.

Retomando o seu caso, é imprescindível e urgente analisar e se organizar para diferentes decisões que venha a tomar para resolver ou pelo menos minimizar essa situação para lá de desconfortável. Dedique tempo ao seu projeto pessoal pois esse cenário só tende a piorar e possivelmente ter sérias consequência emocionais ou de ruptura das relações familiares.

A primeira decisão é se preparar para uma conversa difícil com o seu pai. Faça um levantamento dos fatos e dados que a incomodaram, seja nas questões pessoais ou nas profissionais. Seja sincera e mostre como você se sente, os impactos físicos e emocionais frente ao modo com que ele se relaciona com você. Diga como você gostaria de ser tratada e peça para ele se colocar no seu lugar.

Pesquisas no campo da psicologia, neurociência e economia relacionam a felicidade dos profissionais ao impacto positivo na performance dos negócios. Os ganhos são muitos, desde aumento significativo da inovação, vendas, produtividade, retenção de talentos sem falar na diminuição do turnover. Tudo isso contribui para os resultados mais positivos das empresas e maior retorno financeiro para todos. Por outro lado, esta pode ser uma grande oportunidade de você planejar e implementar mudanças na sua carreira.

Comece avaliando as possibilidades de trilhar novos rumos fora do âmbito familiar. Faça um inventário da sua carreira, desde as suas realizações, pontos fortes bem como pontos de desenvolvimento que você sabe que precisa investir. Faça uma reflexão do que a motiva e faz seus olhos brilharem. Sempre existe espaço para uma mudança se bem planejada e feita de forma estratégica.

Não tenho condições de saber se toda a sua carreira foi desenvolvida somente no negócio familiar, mas mesmo tendo esta única experiência, você pode mudar. Pense que, ao longo da nossa vida, teremos muitas possibilidades de carreira, iremos viver mais e você tem uma longa jornada profissional pela frente. Compare­se com o mercado, falta investir na sua educação continuada? Vá em frente e escolha uma formação que tenha alinhamento com o que você está desenhando como novo passo de carreira e com o mercado.

Saia da zona de conforto e vá em busca de novos contatos, retome os antigos e construa relacionamentos estratégicos e alinhados com os seus objetivos. Você terá muito trabalho para implementar o seu novo passo de carreira, talvez tenha que diminuir a remuneração, ocupar uma posição mais júnior, mas não desanime, mesmo com um mercado menos aquecido em termos de oportunidades. Não deixe que esta situação estressante faça você tomar decisões mais impulsivas e de curto prazo.

O mais importante é você tomar as rédeas da sua vida e carreira e ser a protagonista da sua história. Sem dúvida é difícil, gera medo do desconhecido, desconforto, insegurança, mas isso faz parte do processo de tomada de decisões mais difíceis de qualquer ser humano. Boa sorte!

>> Envie sua pergunta, acompanhada de seu cargo e sua idade, para: diva.executivo@valor.com.br

Karin Parodi é fundadora e sócia­diretora do Career Center e presidente da Arbora Global.