wave_anuncio_lo1-02 1

O número crescente de executivos com a intenção de abrir um negócio, seja por opção, propósito ou por falta de oportunidade no mercado, fez com que a Career Center, especializada em transição de carreira, se associasse à Wave, uma plataforma que integra empresas, investidores e executivos para desenvolver negócios. Karin Parodi, sócia da Career Center, explica que é uma opção aos profissionais que não vão voltar ao mercado corporativo. Ali eles podem encontrar projetos adequados ao seu nível de senioridade, sendo mentores de startups, investidores ou apoiando o desenvolvimento de negócios estrangeiros que chegam ao Brasil.

Criada em outubro do ano passado, a Wave reúne hoje cerca de 50 profissionais ­ todos ex­presidentes, ex­vice­ presidentes e ex­diretores de empresas ­ e 16 startups, além de ter 32 negócios sob sua gestão. “Assessoro executivos há 28 anos e percebi que o percentual desse público que vai empreender ainda é menor, mas tem crescido ao longo dos anos”, diz.

Professor de empreendedorismo do Insper, Thiago de Carvalho também viu oportunidades no cenário empreendedor. Ao fazer mestrado na área de educação, focou suas pesquisas em como os empreendedores aprendem e, a partir daí, desenvolveu uma metodologia para estruturar o caminho de quem quer tocar o próprio negócio.

A proposta da metodologia QEMP (Quociente Empreendedor) é desenvolver seis pilares do empreendedorismo e quatro dimensões pessoais através de 99 competências. “Abordamos desde questões comportamentais até ferramentas essenciais para administrar um negócio com sucesso”, diz Carvalho, country manager da Clinton Education, responsável pela metodologia.

Para a coach Eva Pontes, empreender requer persistência, paciência e capacidade de aprendizado. “Quem empreende como escape, porque está cansado do trabalho, dificilmente dá certo”, diz. Ela ressalta que o ex­executivo enfrentará novos problemas, com os quais não estava acostumado. “Quando se trabalha em uma grande empresa, normalmente o executivo é especialista e responsável por uma área. Quando empreende, ele vira generalista.”

Para se preparar, Fernando Farias fez dois cursos ligados a empreendedorismo no Massachusetts Institute of Technology (MIT), disponíveis on­line. “Eles me deram uma boa base de como entender o cliente antes de começar o negócio”, diz Farias, que fundou a Gofind.online em 2015 e antes era gerente de desenvolvimento de negócios na NeoGrid. “Percebi que precisava começar sem muita abrangência, então focamos em produtos para celíacos.” A Gofind é uma plataforma que ajuda as pessoas a encontrar produtos específicos em lojas físicas próximas.

Para dar início à empresa, com sede em Joinville (SC), Farias investiu R$ 150 mil, contou com aporte de um investidor anjo e abriu mão de um bom salário. Hoje ainda não consegue ter a mesma retirada de quando era executivo. “Sabia que isso aconteceria e espero ter o retorno em quatro ou cinco anos”, diz. Atualmente, a Gofind está sendo acelerada pela ACE e tem oito funcionários, com os sócios.